Navigation

Fluorescence Imaging

Com procedimentos de fluorescência, na cirurgia minimamente invasiva pode-se visualizar o que não é visível sob a luz branca convencional.

A autofluorescência (AF) usa a fluorescência endógena da mucosa para poder diferenciar precocemente os tumores malignos dos tecidos benignos que surgem na mucosa.
Com o diagnóstico fotodinâmico (PDD) podem ser demonstrados acúmulos doentios de produtos fluorescentes de porfirina em tumores da bexiga, o que permite um tratamento rigoroso destas alterações malignas.
A imagiologia no infravermelho próximo (NIR) amplia o espectro do diagnóstico e serve para a avaliação da perfusão de órgãos e tecidos, a apresentação dos canais biliares, bem como para o apoio visual do diagnóstico de gânglios linfáticos. Aqui utiliza-se a indocianina verde (ICG).
Os elementos essenciais deste procedimento de diagnóstico diferente são as fontes de luz D-LIGHT, as ópticas e o nosso sistema de câmera HD especialmente adaptados.

Em combinação com o novo sistema de câmera IMAGE1 S, esses procedimentos de fluorescência oferecem ao médico auxílio adicional na tomada de decisão em opto-diagnósticos diários.

Destaques

KARL STORZ – Infravermelho próximo (NIR/ICG)

Descubra novas facetas da luz!

O sistema infravermelho próximo (NIR/ICG) KARL STORZ proporciona uma observação sob a superfície do tecido. A distribuição do meio de contraste de fluorescência indocianina verde (ICG) torna-se visível por meio do infravermelho próximo.

Características especiais:

  • Emprego de luz branca padrão e imagem por fluorescência
  • Modo de fluorescência com iluminação de fundo
  • Troca mais rápida entre os modos de luz branca e de ICG por meio de pedal
  • Óticas para intervenções endoscópicas e abertas
  • Iluminação e aumento de contraste otimizados
Avaliação da perfusão de uma porção do intestino grosso em um paciente com câncer de intestino
Avaliação da perfusão de uma porção do intestino grosso em um paciente com câncer de intestino – Fonte: Prof. Luigi Boni, University of Insubria, Varese, Itália

A avaliação da irrigação sanguínea em uma porção intestinal com auxílio do sistema infravermelho próximo (NIR/ICG) da KARL STORZ é simples e rápida. O monitoramento da distribuição de ICG no tecido proporciona uma identificação simples de regiões isquêmicas. Médicos que trabalham com esse sistema constatam que tomaram a decisão certa.

  • Diagnóstico intraoperatório direto diminui a duração da cirurgia
  • Rápida avaliação da circulação sanguínea da área a ser resseccionada
  • Irregularidades na circulação sanguínea podem ser identificadas através do ICG e utilizadas para melhorar a ressecção
  • Pontos de referência sob a superfície do tecido podem ser visualizados em tempo real
Colangiografia por fluorescência durante uma colecistectomia
Colangiografia por fluorescência durante uma colecistectomia – Fonte: Prof. Luigi Boni, University of Insubria, Varese, Itália

A ICG administrada de forma intravenosa se acumula normalmente nos ductos biliares. O sistema infravermelho próximo (NIR/ICG) KARL STORZ estimula a ICG acumulada a emitir fluorescência. Dessa maneira, a anatomia do sistema biliar pode ser facilmente identificada. Com um simples aperto de botão, é possível substituir o modo de luz branca pelo de fluorescência e podem ser realizadas colecistectomias de forma simples e rápida tanto laparoscopicamente quanto com cirurgias abertas.

  • Duração reduzida da cirurgia com ICG em comparação com colangiografias intraoperatórias
  • A exposição dos ductos biliares por meio de ICG permite uma diferenciação segura dos ductos cístico, colédoco e da veia porta hepática
  • Exposição de vazamento intraoperatórios com ICG
  • É possível passar perfeitamente de intervenções minimamente invasivas para cirurgias abertas uma vez que só é necessário trocar as óticas enquanto os sistema de câmera não precisa ser substituído
  • As intervenções podem ser realizadas endoscopicamente, laparoscopicamente e em cirurgias abertas com a solução all in one
Colectomia laparoscópica do cólon transverso com linfadenectomia auxiliada por fluorescência
Colectomia laparoscópica do cólon transverso com linfadenectomia auxiliada por fluorescência – Fonte: Prof. Luigi Boni, University of Insubria, Varese, Itália

A exposição dos vasos linfáticos é bastante útil em diversas áreas de aplicação. Com o sistema infravermelho próximo (NIR/ICG) KARL STORZ, a ICG pode ser visualizada nos vasos linfáticos. Médicos que trabalham com o sistema exaltam a possibilidade de controle e a orientação visual da tecnologia de fluorescência.

  • Infravermelho próximo (NIR) permite a detecção intraoperatória tanto de linfonodos sentinelas quanto do sistema linfático completo
  • Exposição sem radiação de vasos linfáticos eferentes e linfonodos em caso de uma possível metástase linfática
  • Simplifica a ressecção em bloco de linfonodos
  • Em comparação com métodos de exposição de linfonodos convencionais, são alcançadas altas taxas de acerto
Anastomose colorretal endoscópica – Fonte: Prof. Luigi Boni, University of Insubria, Varese, Itália (imagem endoscópica)
Anastomose colorretal endoscópica – Fonte: Prof. Luigi Boni, University of Insubria, Varese, Itália (imagem endoscópica)

O sistema infravermelho (NIR/ICG) KARL STORZ oferece a possibilidade de avaliação da irrigação sanguínea do cólon. Para os cirurgiões da área de laparoscopia não é possível controlar a anastomose com o auxílio de palpação, no entanto existe a possibilidade de controle visual. Para isto a angiografia por fluorescência NIR/ICG coloca à disposição uma alternativa intraoperatória em tempo real.

A angiografia por fluorescência NIR/ICG é rápida e simples de ser praticada. Para avaliar se a irrigação sanguínea é suficiente, o cirurgião identifica as bordas dos segmentos saudáveis do intestino: uma vez antes de realizar a sutura com stapler e outra vez logo após finalizar a anastomose. Através da iluminação com luz de infravermelho próximo de ICG, depois da injeção intravenosa, o tecido vascularizado pode ser facilmente diferenciado das áreas isquêmicas. Através deste procedimento o cirurgião constata que as bordas dos segmentos do intestino estão bem irrigadas. Em caso contrário, o cirurgião pode intervenir imediatamente e reposicionar a anastomose.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (World Health Organization – WHO) mais de 694.000 pessoas morreram de câncer colorretal em 2012 em todo o mundo. Este é o terceiro tipo de câncer mais comum. Na maioria dos casos a cirurgia radical é a única possibilidade de cura.

Uma anastomose colorretal bem sucedida é um fator importante para a recuperação após cirurgias radicais. A irrigação sanguínea dos segmentos do intestino, aos quais se empregou a técnica de anastomose, é crítica. O índice de vazamento anastomótico (anastomotic leakage – AL) em anastomoses cólicas e retais corresponde a 7,2% enquanto o índice de vazamento anastomótico apenas retal corresponde a 8,8%1. Isto resulta em um índice de mortalidade de 6 até 22% e em índice de morbidade de 56% em comparação aos pacientes sem AL depois de uma anastomose colorretal2.

A angiografia por fluorescência com infravermelho próximo (NIR/ICG) KARL STORZ possibilita a delimitação de áreas isquêmicas. De acordo com um estudo atual3 o índice de vazamento anastomótico foi reduzido para 0% nos casos em que foi utilizada a reprodução de imagem NIR/ICG durante a cirurgia para a avaliação da perfusão.

1. Pommergaard HC, et al. Colorectal Dis. 2014.
2. Daams F, et al. World J Gastroenterol. 2013.
3. Boni L, et al. Surg. Endos. 2015.

Fonte: Prof. Boni, University of Insubria, Varese, Itália (imagem endoscópica)

Com o sistema infravermelho próximo (NIR/ICG) da KARL STORZ e o marcador indocianina verde (ICG), é possível visualizar todo o sistema linfático e o tumor em tempo real de forma não radioativa.

O sistema oferece as seguintes vantagens:

  • Método de detecção não radioativa de gânglios linfáticos
  • Utilizável de forma multidisciplinar
  • Tecnologia baseada em xênon (nenhuma medida de proteção contra radiação laser é necessária)
  • Mudança intuitiva entre luz branca padrão e modo de fluorescência por meio do interruptor de pedal
  • Os médicos descrevem as seguintes experiências cirúrgicas: com o sistema NIR/ICG, é possível uma redução da radicalidade da linfadenectomia e uma ressecção simultaneamente facilitada "en bloc" de gânglios linfáticos por meio do controle visual.

*O (S)LN por meio da administração intradérmica de indocianina verde já é permitida na Itália (câncer de mama), no Japão e na Rússia. Informe-se previamente sobre a possibilidade de uma utilização "off label" do ICG em seu hospital/país.

Fonte: Prof. Cadière, Universidade Saint-Pierre, Bruxelas, Bélgica (imagem endoscópica)

Na ginecologia, a ocorrência de tumor do gânglio linfático sentinela (SLN) é extremamente importante, uma vez que isto fornece informações médicas referentes ao estágio do tumor e, deste modo, é válido como fator de prognóstico importante. Na cirurgia mamária, a detecção do SLN por meio do Tracer 99mTc radioativo é o padrão de ouro. Em outras áreas da cirurgia de tumores ginecológicos, o seu uso em relação à dissecção dos gânglios linfáticos é objeto de discussão. Aqui, a imagiologia NIR com ICG, como nova técnica de imagiologia não radioativa, pode dar um apoio valioso.1 Para o SLN no carcinoma do endométrio, até agora foram obtidos os seguintes resultados (Tracer 99mTc radioativo vs. ICG):

 

Tracer 99mTc radioativo

ICG

Taxa de detecção total de SLN

SLN bilateral

Taxa de detecção total de SLN

SLN bilateral

Estudo 12

 83 %  61 %  95,5 %  95,5 %

1 Papadia et al., brochura Silver, Mapeamento do gânglio linfático sentinela com imagiologia de fluorescência NIR/ICG em tumores malignos na ginecologia (ISBN 978-3-89756-931-7)
2 Imboden et al., Surg. Oncol. 2015

Fonte: Prof. Boni, University of Insubria, Varese, Itália (imagem endoscópica)

A visualização do sistema linfático apoiada pela fluorescência é aplicada em muitas outras especialidades com o sistema NIR/ICG da KARL STORZ. Os exemplos a seguir já estão descritos na literatura:

Urologia 1,2:

  • Carcinoma da próstata
  • Carcinoma do pênis

Cirurgia geral 3,4:

  • Carcinoma colorretal
  • Carcinoma do pâncreas
  • Carcinoma do estômago

1 Jeschke et al. 2012
2 Hruby et al. 2015
3 Boni et al. 2014
4 Boni et al., Silver Books, NIR/ICG Fluorescence Imaging in Laparoscopic Surgery (ISBN 978-3-89756-933-1)

Fonte: Dr. García Valdecasas, Hospital Clínic de Barcelona, Espanha

A KARL STORZ também oferece uma excelente solução para a visualização do sistema linfático na área da cirurgia aberta, com o exoscópio VITOM® II ICG. O VITOM® II ICG pode ser usado com o sistema NIR/ICG.

  • Em diferentes especialidades como, por exemplo, na ginecologia, no caso de carcinoma da mama, também permite realizar uma detecção de gânglios linfáticos apoiada pela fluorescência, com cirurgia aberta
  • Possibilidade da integração do exoscópio por meio de um braço de suporte na área de trabalho do cirurgião
  • Além disso, para um resultado excelente, o modo de visualização SPECTRA A pode ser ligado para obter um aumento de contraste
Fonte: Dr. Niclas Kvarnström, Hospital Universitário Sahlgrenska, Gotemburgo (imagem de aplicação)
Fonte: Dr. Niclas Kvarnström, Hospital Universitário Sahlgrenska, Gotemburgo (imagem de aplicação)

Através da indocianina verde (ICG), as estruturas anatômicas, como, por exemplo, os canais biliares, o sistema linfático e os vasos sanguíneos podem ser melhor representados devido à iluminação da luz no infravermelho próximo (NIR). O sistema IMAGE1 S NIR apresenta-se como tendo uma aplicação versátil na cirurgia hepática. É possível diagnosticar metástases, tumores hepáticos primários, bem como derrames biliares ou efetuar também segmentectomia hepática apoiada por fluorescência.

O sistema oferece as seguintes vantagens:

  • Uso multidisciplinar, tanto de forma endoscópica como em cirurgia aberta
  • Tecnologia baseada em xênon (nenhuma medida de proteção contra radiação laser é necessária)
  • Mudança intuitiva entre luz branca padrão e modo de fluorescência por meio do interruptor de pedal
Fonte: Dr. Takeaki Ishizawa, Universidade de Tóquio, Japão (Imagem de aplicação)
Fonte: Dr. Takeaki Ishizawa, Universidade de Tóquio, Japão (Imagem de aplicação)

Os tumores hepáticos primários são o sexto tipo de câncer mais frequente no mundo. As metástases no fígado são mesmo 20 vezes mais frequentes do que os tumores hepáticos primários.1 O sistema NIR/ICG tem as seguintes vantagens para a cirurgia hepática:

  • A ICG, em combinação com luz no infravermelho próximo, permite a visualização intraoperativa de metástases e carcinomas hepáticos, respectivamente na parte inferior da superfície dos tecidos2
  • Permite o diagnóstico de pequenas metástases até à escala milimétrica3
  • Permite identificar mais facilmente os limites de resseção4

1 Índices de câncer na Alemanha 2011/2012 (10.), Instituto Robert-Koch, Berlim

2 Até um centímetro, dependendo da composição do tecido

3 Tummers et al., Primeira experiência em imagem de fluorescência de infravermelho próximo laparoscópica de metástases de melanoma uveal hepático com indocianina verde, 2014

4 Boni et al., Manual de médico para médico ENDO-PRESS®, Imagem de fluorescência NIR/ICG na cirurgia laparoscópica
(ISBN 978-3-89756-933-1)

Fonte: Dr. Niclas Kvarnström, Hospital Universitário Sahlgrenska, Gotemburgo
Fonte: Dr. Niclas Kvarnström, Hospital Universitário Sahlgrenska, Gotemburgo

Outra possibilidade de aplicação na cirurgia hepática recai sobre a assistência na segmentectomia hepática laparoscópica e aberta, recorrendo a uma administração seletiva de ICG no vaso de alimentação. A resseção parcial do fígado implica um conhecimento profundo da evolução dos vasos existentes e dos limites de cada segmento, considerando as inúmeras variantes anatômicas dos vasos sanguíneos:

  • O tumor é localizado de forma intraoperativa com ajuda do CT, MRT e ultrassom.
  • A ICG é injetada no vaso de alimentação do segmento
  • O segmento intervencionado pode ser diferenciado através da fluorescência e, com isso, os segmentos adjacentes não fluorescentes

Além disso, a fluorescência da ICG pode ajudar a identificar os derrames biliares após uma segmentectomia hepática ou um transplante hepático.

Fonte: Dr. Takeaki Ishizawa, Universidade de Tóquio, Japão
Fonte: Dr. Takeaki Ishizawa, Universidade de Tóquio, Japão

Com o exoscópio VITOM® II ICG, a KARL STORZ oferece uma excelente solução para a cirurgia hepática aberta. O VITOM® II ICG pode ser usado sem grande esforço com o sistema IMAGE1 S NIR para a laparoscopia.

  • Ele permite realizar cirurgia aberta, assim como um diagnóstico apoiado por fluorescência de metástases e carcinomas hepáticos e ainda a visualização de segmentos hepáticos e derrames biliares.
  • Existe a possibilidade de ser integrado na área de trabalho da cirurgia, com ajuda de um braço de suporte do exoscópio
  • Para um melhor resultado de fluorescência, pode ser ativado adicionalmente o modo de visualização SPECTRA A

Outras informações sobre a especialidade

ICG-Enhanced Fluorescence-Guided Laparoscopic Surgery

ICG-Enhanced Fluorescence-Guided Laparoscopic Surgery

Tipo de mídia:
Instruções do médico para o médico
Idiomas disponíveis:
D, E
Versão:
0.20 11-2016
Número:
96265002E
Especialidades:
Fluorescence Imaging
Near-Infrared Endoscopy with Indocyanine Green in Otolaryngology

Near-Infrared Endoscopy with Indocyanine Green in Otolaryngology

Tipo de mídia:
Instruções do médico para o médico
Idiomas disponíveis:
D, E
Versão:
0.76 11-2016
Número:
96265003E
Especialidades:
Fluorescence Imaging
Fluorescence Imaging - Near Infrared (NIR/ICG)

Fluorescence Imaging - Near Infrared (NIR/ICG)

Tipo de mídia:
Vídeo, Teaser, Filme do produto
Idiomas disponíveis:
D, E
Versão:
2016
Número:
914E
Especialidades:
Autofluorescende Diagnosis of Cancers of the Upper Aerodigestive Tract - Principles, Techniques and Results

Autofluorescende Diagnosis of Cancers of the Upper Aerodigestive Tract - Principles, Techniques and Results

Tipo de mídia:
Instruções do médico para o médico
Idiomas disponíveis:
D, E
Versão:
0.3 08-2015
Número:
96055051E
Especialidades:
ICG-Enhanced Fluorescence-Guided SLN Mapping in Gynecological Malignancies

ICG-Enhanced Fluorescence-Guided SLN Mapping in Gynecological Malignancies

Tipo de mídia:
Instruções do médico para o médico
Idiomas disponíveis:
D, E
Versão:
1.5 03-2016
Número:
96265001E
Especialidades:
Fluorescence Imaging
Highlights 2016 Fluorescence Imaging - Quarter 4

Highlights 2016 Fluorescence Imaging - Quarter 4

Tipo de mídia:
Broschura de Marketing
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT
Versão:
1.0 10-2016
Número:
96261009E
Especialidades:
Fluorescence Imaging
The KARL STORZ NIR/ICG System – Laser-free NIR/ICG imaging

The KARL STORZ NIR/ICG System – Laser-free NIR/ICG imaging

Tipo de mídia:
Folheto comercial
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT
Versão:
1.0 09-2016
Número:
96261008E
Especialidades:
Fluorescence Imaging
Highlights 2016 Imagem por fluorescência - 3o trimestre

Highlights 2016 Imagem por fluorescência - 3o trimestre

Tipo de mídia:
Broschura de Marketing
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT, PT
Versão:
1.0 07-2016
Número:
96261007P
Especialidades:
Fluorescence Imaging
A série E da KARL STORZ: Egronómica – Elegante – Eficiente

A série E da KARL STORZ: Egronómica – Elegante – Eficiente

Tipo de mídia:
ENDOWORLD®
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT, PT, RU
Versão:
5.0 07-2016
Número:
96212009P
Especialidades:
HAVe 1™

HAVe 1™

Tipo de mídia:
Broschura de Marketing
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT
Versão:
2.3 04-2016
Número:
96011026E
Especialidades:
IMAGE1 S – TC 200, TC 300, TC 301, TC 302

IMAGE1 S – TC 200, TC 300, TC 301, TC 302

Tipo de mídia:
Instruções de utilização
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT, PT, RU
Versão:
2.0 09-2016
Número:
96206286F
Especialidades:
Este documento somente está disponível para usuários registrados. Registre-se.
Cabeça de câmara IMAGE1 S H3-Z FI TH 102

Cabeça de câmara IMAGE1 S H3-Z FI TH 102

Tipo de mídia:
Instruções de utilização
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT, PT, RU
Versão:
2.0.0 10-2016
Número:
96206520F
Especialidades:
Este documento somente está disponível para usuários registrados. Registre-se.
Sistema de processamento de imagem de fluorescencia (FI) KARL STORZ

Sistema de processamento de imagem de fluorescencia (FI) KARL STORZ

Tipo de mídia:
Instruções de utilização
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT, PT, RU
Versão:
1.2.1 10-2016
Número:
96206144F
Especialidades:
Este documento somente está disponível para usuários registrados. Registre-se.
HF cart SHORT-E 20020080, Mobile stand TROLL-E 20020081, Wall bracket MOUNT-E 20020082

HF cart SHORT-E 20020080, Mobile stand TROLL-E 20020081, Wall bracket MOUNT-E 20020082

Tipo de mídia:
Bula
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT, PT, RU
Versão:
1.0.0 02-2012
Número:
96206356D
Especialidades:
Este documento somente está disponível para usuários registrados. Registre-se.
Telescópios e telescópios HOPKINS®

Telescópios e telescópios HOPKINS®

Tipo de mídia:
Instruções de utilização
Idiomas disponíveis:
D, E, ES, FR, IT, PT, RU
Versão:
3.0 02-2016
Número:
96216001F
Especialidades:
Este documento somente está disponível para usuários registrados. Registre-se.

Clinical applications of indocyanine green (ICG) enhanced fluorescence in laparoscopic surgery

Medicina humana

Fluorescence Imaging

Boni L, David G, Mangano A, Dionigi G, Rausei S, Spampatti S, Cassinotti E, Fingerhut A

Surgical Endoscopy. 2014 Oct 11

A Comparison of Radiocolloid and Indocyanine GreenFluorescence Imaging, Sentinel Lymph Node Mapping in Patients with Cervical Cancer

Medicina humana

Fluorescence Imaging

Imboden S, Papadia A, Nauwerk M, McKinnon B, Kollmann Z, Mohr S, Lanz S, Mueller MD

Annals of Surgical Oncology. 2015 Jun 30.

Indocyanine green fluorescence endoscopy for visual differentiation of pituitary tumor from surrounding structures

Medicina humana

Fluorescence Imaging

Litvack ZN, Zada G, Laws ER Jr.

J Neurosurg. 2012 Feb 24.

Endoscopic ICG perfusion imaging for flap transplants: clinical results

Medicina humana

Fluorescence Imaging

Christian Betz

Head Neck Oncol. 2010; 2(Suppl 1): O15. Published online 2010 October 29. doi: 10.1186/1758-3284-2-S1-O15

Semi-quantitative Fluorescence Endoscopy with use of ICG

Medicina humana

Fluorescence Imaging

Hilmar Schachenmayr, Sven Zhorzel, Herbert Stepp, Ulrich Harréus und Christian Stephan Betz

World Congress on Medical Physics and Biomedical Engineering, September 7 - 12, 2009, Munich, Germany IFMBE Proceedings, 2009, Volume 25/6, 118-119, DOI: 10.1007/978-3-642-03906-5_32

Endoscopic measurements of free-flap perfusion in the head and neck region using red-excited Indocyanine Green: preliminary results

Medicina humana

Fluorescence Imaging

Betz CS, Zhorzel S, Schachenmayr H, Stepp H, Havel M, Siedek V, Leunig A, Matthias C, Hopper C, Harreus U.

J Plast Reconstr Aesthet Surg. 2009 Dec;62(12):1602-8. Epub 2008 Nov 25

Lymph node pathway visualization in real time by laparoscopic radioisotope- and fluorescence- guided sentinel lymph node dissection in prostate cancer staging

Medicina humana

Fluorescence Imaging

Jeschke, S., Lusuardi, L., Myatt, A., Hruby, S., Janetschek, G.

27th Annual Congress of the European Association of Urology Paris, February 27, 2012

IntraoperativeLaparoscopicFluorescenceGuidance to the Sentinel Lymph Node in Prostate Cancer Patients: Clinical Proof of Concept of an Integrated Functional Imaging Approach Using a Multimodal Tracer

Medicina humana

Fluorescence Imaging

Henk G. van der Poela, Tessa Buckleb, Oscar R. Brouwerb, Renato A. Valdés Olmosb, Fijs W.B. van Leeuwenb

European Urology Volume 60, Issue 4, October 2011, Pages 826–833

Die laparoskopische Fluoreszenzangiographie mit Indocyaningrün zur intraoperativen Beurteilung der Perfusion bei kolorektalen Anastomosen

Medicina humana

Fluorescence Imaging

T. Carus und H. Lienhard

Deutsche Gesellschaft für Chirurgie, 2009, Volume 38, Chirurgisches Forum und DGAV Forum 2009 , XXIII, 331-333, DOI: 10.1007/978-3-642-00625-8_120