Navigation

NIR/ICG – A fluorescência de infravermelho próximo

Fluorescence Imaging

O seu auxiliar de orientação em tempo real, de aplicação diária

A identificação precoce e diferenciada de estruturas é uma necessidade na cirurgia endoscópica. Aqui, a técnica de imagiologia tem de substituir a visão aberta em falta no local. Além de uma imagem excelente, são desejáveis informações adicionais, que especificam a técnica cirúrgica. Estas informações são fornecidas, por exemplo, pela imagiologia de fluorescência NIR/ICG, uma tecnologia OPAL1® da KARL STORZ.

Mediante a utilização de indocianina verde (ICG), pode ser usada luz com comprimentos de onda no infravermelho próximo (NIR), para tornar visíveis, por exemplo, estruturas anatômicas. A KARL STORZ vê nessa técnica de fluorescência uma técnica padrão de imagiologia do futuro.

IMAGE1 S™ RUBINA – mORe to discover

IMAGE1 S™ Rubina
IMAGE1 S™ Rubina

A nova tecnologia de imagiologia IMAGE1 S™ RUBINA da KARL STORZ combina as tecnologias 3D e 4K com a imagiologia de fluorescência NIR/ICG e fornece, assim, aos cirurgiões informações de elevado nível de qualidade, como base para seu trabalho.

Modos de visualização NIR/ICG

Ao usar os componentes Rubina são disponibilizados ao usuário vários novos modos para representação do sinal NIR/ICG. Esses incluem informações de NIR/ICG sobrepostas em uma imagem de luz branca padrão, bem como um modo que exibe o sinal infravermelho puro em uma representação de cores monocromática.

Fonte: Prof. Luigi Boni, Policlinico di Milano, Milão, Itália

Overlay

Em Overlay, a imagem de luz branca regular é combinada com as informações NIR/ICG, sendo gerada uma imagem de sobreposição.

Verde ou azul – Fonte: Prof. Massimo Carlini, Roma, Itália
Fonte: Prof. Massimo Carlini, Roma, Itália

Verde ou azul – Decida você mesmo

Dependendo da preferência e aplicação, a informação NIR/ICG pode ser representada sobreposta em verde ou azul.

Intensity Map – Fonte: Dr. Michael Zünd, Baar, Suíça
Fonte: Dr. Michael Zünd, Hospital Cantonal de Zug, Baar, Suíça

Intensity Map

Indica a intensidade do sinal NIR/ICG com base em uma escalara de cores como imagem de sobreposição.

Modo monocromático – Fonte: Prof. Luigi Boni, Policlinico di Milano, Milão, Itália
Fonte: Prof. Luigi Boni, Policlinico di Milano, Milão, Itália

Monochromatic

Assim, o sinal NIR/ICG puro é exibido em branco sobre um fundo preto, para criar uma demarcação o mais clara possível.

Soluções all-in-one

Graças à arquitetura modular, a plataforma de câmera IMAGE1 S™ existente pode ser complementada com novos componentes 4K, 3D, NIR/ICG e LED. Os componentes IMAGE1 S™ RUBINA disponibilizam ao usuário novas possibilidades e uma série de vantagens, que visam apoiá-lo no trabalho diário.

  • Resolução nativa 4K
  • Ótima qualidade de imagem tanto em luz branca como nos modos NIR/ICG
  • Reprodução natural de cores
  • Tecnologias S em luz branca e em combinação com os modos de Overlay
  • Tecnologia 3D em 4K
  • Qualidade de imagem 3D melhorada
  • Vídeoendoscópio 3D/2D autoclavável
  • Orientação de horizonte automática
  • Tecnologia OPAL1® NIR/ICG
  • Overlay com coloração de NIR/ICG verde ou azul
  • Intensity Map para a exibição da intensidade de sinal em Overlay
  • Monochromatic com sinal NIR/ICG nítido
  • Óticas NIR/ICG novas e otimizadas
  • Fonte de luz LED sem laser para luz branca e NIR/ICG
  • Estimulação de ICG e autofluorescência em infravermelho próximo
  • Durável com intensidade de luz constante
  • Manuseio simples graças à tela tátil e interruptor de pedal

There is mORe to discover

4K, 3D, LED e NIR/ICG combinados em uma só tecnologia.
A tecnologia IMAGE1 S™ Rubina para a imagiologia de fluorescência NIR/ICG.

Exemplos de NIR/ICG

Visualização da circulação sanguínea

A avaliação da circulação sanguínea em diferentes especialidades médicas tem um papel importante. Com a tecnologia NIR/ICG e a administração de ICG, as áreas isquêmicas podem ser representadas de forma mais simples e eficiente, em tempo real, ou pode também ser verificada, por exemplo, a circulação sanguínea (perfusão) em anastomoses. Desta forma, o cirurgião pode atuar ativamente de forma intraoperatória.

Exemplos de aplicação:

  • Avaliação rápida da circulação sanguínea de uma área de resseção planejada, bem como da subsequente anastomose, por exemplo, em resseções do cólon1 ou do esôfago e bypass gástrico2
  • Avaliação da circulação sanguínea de cirurgias com enxertos em cirurgia aberta
  • Visualização dos segmentos hepáticos3
  • Utilização multidisciplinar em cirurgias laparoscópicas, cirurgias endoscópicas e em cirurgia aberta

 

1Koh et al., Fluorescent Angiography Used to Evaluate the Perfusion Status of Anastomosis in Laparoscopic Anterior Resection, 2016

2Boni et al., Clinical Applications of Indocyanine Green (ICG) Enhanced Fluorescence in Laparoscopic Surgery, 2015

3Diana M et al Superselective Intra-arterial Hepatic Injection of Indocyanine Green (ICG) for Fluorescence Image-guided Segmental Positive Staining: Experimental Proof of the Concept. 2017

Visualização da anatomia biliar

Devido à expulsão hepato-biliar, a ICG concentra-se na vesícula biliar e nos ductos biliares. Desse modo, a anatomia biliar pode ser identificada de forma rápida e segura, por exemplo, em caso de uma colecistectomia.

Exemplos de aplicação:

  • Tempos de cirurgia encurtados com ICG em comparação com colangiografias padrão1.  A distinção entre ducto cístico e ducto colédoco é facilitada2.
  • Representação de derrames biliares intraoperatórios com ICG, por exemplo, depois de uma resseção parcial do fígado

 

1Dip et al., Cost analysis and effectiveness comparing the routine use of intraoperative fluorescent cholangiography with fluoroscopic cholangiogram in patients undergoing laparoscopic cholecystectomy, 2014

2Boni et al., ICG-Enhanced Fluorescence-Guided Laparoscopic Surgery, Doctor-to-Doctor Manual ENDO-PRESS®, (ISBN 978-3-89756-934-8)


 

Visualização de carcinomas hepáticos e metástases hepáticas

Os tumores hepáticos primários são o sexto tipo de câncer mais frequente no mundo. As metástases hepáticas são até 20 vezes mais comuns do que os tumores hepáticos primários1. Para a cirurgia hepática, a tecnologia NIR/ICG, em conjunto com a ICG, oferece muitas vantagens.

  • Visualização intraoperatória de metástases e carcinomas hepáticos na superfície hepática ou por baixo da mesma2
  • Diagnóstico de micro-metástases superficiais ou pouco profundas, até à escala milimétrica3
  • Identificação facilitada dos limites de resseção4
  • Visualização dos segmentos hepáticos*

 

1Índices de câncer na Alemanha 2011/2012 (10.), Instituto Robert-Koch, Berlim

2Possível representação até um centímetro de profundidade pela ICG, dependendo da composição do tecido

3Tummers et al., First experience on laparoscopic near-infrared fluorescence imaging of hepatic uveal melanoma metastases using indocyanine green, 2014

4Boni et al., ICG-Enhanced Fluorescence-Guided Laparoscopic Surgery, Doctor-to-Doctor Manual ENDO-PRESS®, (ISBN 978-3-89756-934-8)

 

Visualização do sistema linfático

Em muitas intervenções oncológicas, a identificação segura do sistema linfático ou do gânglio linfático sentinela representa um desafio. Aqui, por meio da utilização da ICG*, todo o sistema linfático na área de saída do tumor pode ser representado visualmente, em tempo real, de forma intraoperatória. A utilização de processos de medicina nuclear é, assim, evitada.1

Exemplos de aplicação:

  • Método de visualização não radioativa dos gânglios linfáticos
  • Em comparação com os métodos estabelecidos da representação dos gânglios linfáticos, obtêm-se elevadas taxas de sucesso2
  • Detecção de derrames linfáticos3
  • Utilização multidisciplinar, por exemplo, em ginecologia, urologia e cirurgia geral

 

*O estado de homologação dos medicamentos pode variar. Por favor, informe-se antecipadamente a esse respeito em seu hospital/país.

1Papadia A. et al., ICG-Enhanced Fluorescence-Guided SLN Mapping in Gynecological Malignancies, Doctor-to-Doctor Manual ENDO-PRESS®, (ISBN 978-3-89756-932-4)

2Imboden et al., A Comparison of Radiocolloid and Indocyanine Green Fluorescence Imaging, Sentinel Lymph Node Mapping in Patients with Cervical Cancer Undergoing Laparoscopic Surgery, 2015

3Papadia A et al. Indocyanine Green Fluorescence Imaging in the Surgical Management of an Iatrogenic Lymphatic Fistula: Description of a Surgical Technique, 2015